jusbrasil.com.br
19 de Setembro de 2019

Honorários Baratos?

Thaiza Vitoria, Consultor Jurídico
Publicado por Thaiza Vitoria
há 6 meses

Uma grande reclamação que já escutei VÁRIAS vezes: “Meus clientes só procuram honorários mais baratos, se não os encontram, vão para o vizinho…”

Como escapar disso?

Talvez você tenha serviços jurídicos que outros colegas também podem oferecer…

Não é difícil deduzir que qualquer advogado minimamente capaz, está seguro para editar uma inicial, distribuir uma ação e acompanhar um processo (e diante da demora do judiciário, dá até para se especializar na ação enquanto ela acontece! Rs).

E aí nesse caso, o que você faz?

Como você pode oferecer o mesmo serviço jurídico que milhares de outros advogados, mas de maneira ÚNICA?

Considerando que o conteúdo e a forma de entrega, na maioria dos casos, muda muito pouco?

Muitos colegas responderiam que um atendimento esclarecedor e amigável é o caminho para se diferenciar na percepção dos futuros clientes, inclusive, alguns colegas realmente acreditam que os clientes são dependentes deles, quando se recusam a serem atendidos por secretárias ou outros advogados do escritório.

Essa síndrome do papai urso ( mamãe ursa) tenta nos convencer de que uma ligação emocional com o cliente é suficiente para fidelizá-lo ou estimular novas indicações.

Mas essa segurança logo é contestada no momento do “repasse” dos honorários, salvo raríssimas exceções.

Na minha prática profissional como coach de advogados, vejo que os advogados que mais relatam reconhecimento dos clientes, e uma profunda gratidão pelos serviços prestados, possuem uma comunicação frequente e uma ideia muito clara de processo interno, ou seja, o cliente é educado para saber que INDEPENDENTEMENTE DO JUDICIÁRIO o advogado trabalha todos os dias para ele.

E quando o escritório consegue chegar a esse ponto de profissionalismo comunicacional, não importa muito para o cliente se ele será atendido pelo “papai urso”, pela “assistente ursa”, pelo “estagiário ursinho”...isso porque o cliente entende que o seu caso faz parte de uma fluxo unificado de informação, dentro de um método claro de trabalho daqueles profissionais. Uma metodologia criada e mantida por um líder, e essa força passa a segurança necessária para a fidelização e o reconhecimento que todos os advogados desejam.

O importante é que o cliente saia do escritório sabendo como tudo vai funcionar dali para frente e como isso será informado dentro de intervalos curtos.

Essa prática tanto elimina a dependência emocional da relação cliente-advogado, como aumenta a percepção de valor pelos serviços prestados.

Lembre-se: o cliente não é obrigado a conhecer os detalhes da sua atividade. É seu dever criar um manual do cliente, um passo a passo onde ele entenda (na linguagem dele) como tudo vai acontecer depois da assinatura do contrato.

Se ele não entende a natureza complexa da sua advocacia, isso não significa que ele seja ignorante, mas apenas que ele não foi educado para isso.

Você já imaginou como seria maravilhoso se você tivesse um sistema de relatórios que demonstrassem ao seu cliente todo seu trabalho, mesmo sem nenhum andamento processual novo?

A comunicação do serviço não deve esperar pela solicitação do cliente. Ela deve se antecipar.

Além disso, como eu disse, deve ser frequente. Mesmo que não haja movimentação processual, você deve entrar em contato com o cliente, no sentido de tranquilizá-lo, pois tudo está seguindo o programado.

O desafio da maioria dos advogados é saber como implementar esse fluxo de informações sem prejudicar a produtividade já tão comprometida pelo excesso de tarefas.

E aqui não existe atalho, meu amigo, minha amiga, você vai ter que separar religiosamente um tempo na sua agenda para criar esse método de comunicação com o cliente.

É como ensinar o filho a fazer necessidades no pinico, no começo você vai precisar de muita energia para fazer dar certo, mas depois o hábito aprendido segue linear sem a sua intervenção.

Ensinamos essas práticas de comunicação eficaz com os clientes nos nossos projetos em grupo, mas apenas depois da sua decisão de ser valorizado, é que esse tipo de assunto poderá despertar o seu interesse.

O fato de você estar lendo esse artigo até aqui, já prova que deseja de diferenciar.

Agora me conta, como você tem conseguido mostrar que o seu serviço é diferente do seu colega?

Te convido para acessar os materiais gratuitos no meu site: https://thaizavitoria.com.br/

16 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

98% dos clientes que vem pelo jusbrasil vem atrás de preços baixos e consultas grátis, não se iludam.
Poucos, mas pouquíssimos realmente vão fechar por sua conversa, site bonito e afins, se recebe ou não comunicado de andamento processual, se você vai ser amigo ou não dele.
O ponto de quem procura advogado pelo jus é um só.
Preço.
O discurso de 99% é vou pensar e afins.
Eu recentemente tive um contato aqui que não fechou comigo porque o advogado falou para ele "eu estou com uma promoção no jusbrasil que da 50% de desconto no valor que te passarem" e o cara acreditou e fechou com ele.
Tenho amigos advogados que fecham aqui pelo jus, por 1.000,00 qualquer ação e ainda me falam que estou perdendo tempo e fecham 10 clientes por mês e fazem 10 mil.
E depois que se exploda o cliente, porque a culpa é do judiciário inerte que não fez a parte dele. continuar lendo

Lamentável seu relato. Como cobrar mil reais independente do objeto da ação? E como dará conta de tudo isso depois? continuar lendo

Infelizmente, acredito em você, colega! Mas quer saber? Não invejo esses profissionais, jamais! Mesmo aqui no Jusbrasil, utilizo a tabela como parâmetro, não faço "promoções" nem "descontão". Ao fim e ao cabo, estou contente com os poucos, mas seletos clientes que confiaram meu trabalho e proposta aqui, pelo Jusbrasil. Quer ir atrás do mais barato? Vá com Deus, que não faz falta!
O que acontece é que, no desespero, medo de passar o mês e não fechar com ninguém, o advogado que põe seus ovos só nesta cesta (Jusbrasil) como forma de captação, acaba aceitando pegar qualquer caso por qualquer valor. Não me surpreenderei se acabar sabendo de algum causídico que se proporá até fazer de graça (sob a falsa esperança de ganhar mais clientes). Enfim, há profissionais e Profissionais. continuar lendo

Não penso duas vezes e mando o "cliente" buscar aqueles "serviços mais baratos". É melhor fazer assim do que trabalhar durante todo processo e ao final sentir aquela sensação de que o trabalho não valeu o esforço despendido. continuar lendo

Pertinente esta questão, sou estudante do 7o. semestre de direito, começando o estágio, é a forma que penso, profissionalismo e informação ao cliente são essenciais, no entanto, na atualidade percebo que muitos profissionais não informam seus clientes sobre os andamentos processuais nem tampouco orientam a respeito. Pretendo fazer esta diferença, ótimo tópico. continuar lendo

Num mundo ideal...... continuar lendo

Para um determinado tipo de cliente, tento demonstrar que política e Direito andam juntos continuar lendo