jusbrasil.com.br
21 de Fevereiro de 2018

Globo destaca o Coaching Juridico

Advogada e Coach, sim, é possível!

Thaiza Vitoria
Publicado por Thaiza Vitoria
há 15 dias

Mais uma vez o Coaching é destaque em horário nobre na Rede Globo. Na novela, O Outro Lado do Paraíso, a advogada e Coach Adriana utiliza técnicas e ferramentas de Coaching.

Nessa cena Adriana comenta sobre sua formação e como adquiriu as habilidades que fazem dela uma profissional reconhecida. Confira.

O contexto do Coaching da novela global

Na novela “O Outro Lado do Paraíso”, a atriz Julia Dalavia, interpreta a jovem advogada Adriana, utiliza seus conhecimentos, técnicas e ferramentas em Coaching para auxiliá-la no desempenho de suas funções na área jurídica.

A jovem advogada buscou mais do que conhecimento técnico e aprimorou e ampliou sua atuação juridica. A ascensão na carreira, que poderia demorar anos para acontecer, surgiu devido a sua performance perante os casos difíceis atendidos do escritório de advocacia. As habilidades e competências da jovem foram reconhecidas e a oportunidade surgiu. Ela estava preparada, sendo reconhecida como diferenciada pelo gestor do escritório.

Sabemos através de pesquisas da FGV que advogados quando investem em cursos priorizam o conhecimento jurídico; todavia, desde meados da década de 70, o jurista não se sustenta somente com conhecimento técnico.

As faculdades de Direito formam futuros advogados, mas, infelizmente em sua maioria, não ensinam gestão e empreendedorismo. Ao lidar com a advocacia, o advogado precisa de ferramentas de suporte para qualquer espécie de problema que enfrentará na sua carreira jurídica, nesse cenário o coaching jurídico vem catalizando os resultados de todos os advogados que investem em suas ferramentas.

Mas o que é Coaching?

De maneira simples, poderiamos dizer que o Coaching é um processo que facilita o desenvolvimento de recursos para o atingimento de metas de até 12 áreas da vida. Um processo, com início, meio e fim, definido em comum acordo entre o Coach (profissional) e o Coachee (cliente) de acordo com a meta desejada pelo cliente. Assim, o Coach apoia o cliente na busca de realizar metas de curto, médio e longo prazo através da identificação e uso das próprias competências desenvolvidas.

Entretanto, se tal explicação ainda soar muito subjetiva, convido-o a uma rápida reflexão.

Imagine que você deseja dirigir seu carro até um lugar desconhecido, onde sabe que outras pessoas já chegaram, contudo, não sabe por qual caminho. Assim, pega seu GPS, acopla no painel do carro e digita o destino.

Automaticamente, o GPS “identifica” seu local atual – que no Coaching chamamos de “ estado atual” – e traça a rota de destino – o que chamamos de “estado desejado”.

Quando você começa a dirigir seu automóvel através das ruas, pode deparar-se com um engarrafamento ou com um desvio de rota por um motivo qualquer.

Imediatamente, o GPS refaz a rota, levando em consideração os novos caminhos que você percorreu por razões diversas.

Quanto mais você estiver atento e focado à orientação recebida, muito maior e segura será sua chance de êxito em alcançar seu destino.

Então, saindo da metáfora, o GPS é o Coach, aquele que traça a rota que você quer, e a refaz sempre que necessário ao identificar mudanças no processo.

Seu papel é continuar dirigindo, sem responsabilizar o GPS ou as adversidades, mantendo-se completamente comprometido em chegar ao local de destino.

O Coach atua encorajando e/ou motivando você, procurando sinalizar-lhe habilidades ou técnicas que melhorem as suas capacidades profissionais ou pessoais, visando à satisfação de objetivos definidos inicialmente.

Coaching é um conjunto de conhecimentos, ferramentas e técnicas que visam a facilitar o alcance de resultados mensuráveis; é uma metodologia nova que busca atender as seguintes necessidades humanas: atingir metas, solucionar problemas e desenvolver novas habilidades.

É um processo focado em ações do advogado para a realização de suas metas. Ações no sentido de desenvolvimento e/ou aprimoramento de suas próprias competências, equipando-o com as ferramentas, conhecimento e oportunidades para se expandir, usando os seguintes processos:

1. O processo de investigação, reflexão e conscientização.

2. Descoberta pessoal dos pontos fracos e das qualidades.

3. Aumento da consciência de si mesmo.

4. Aumento da capacidade de responsabilizar-se pela própria vida.

5. Estrutura e foco.

6. Feedback realista.

Imagine uma meta: conquistar 20 clientes novos por mês na sua advocacia. Logo, você estrutura um plano de ação, simulando possíveis estratégias de prospecção.

De repente, alcança essa métrica em menos de 30 dias! Responda: Você seria capaz de dispensar esse grupo de novos clientes?

Seria uma loucura!

O que quero dizer é o seguinte: Ninguém descarta o resultado alcançado, contudo, por vezes, nos “auto-sabotamos” para não alcançarmos esse resultado querido, e, não raro, sem atentar para tal.

Por exemplo, um dia eu acordo e escrevo um artigo para meu público-alvo; no outro, eu visito a associação comercial do bairro; no terceiro dia, eu perco um pouco a hora; no quarto, esqueço-me de ligar para o advogado que ofereceu uma parceria; no quinto, algum cliente já está pensando em trocar de advogado... e assim os ciclos de autossabotagem se prolongam.


No meu trabalho como Coach de Alta Performance, eu já ajudei centenas de Advogados a fazerem escolhas calculadas e criarem o modelo da advocacia de se orgulhar. Essas pessoas encontraram propósito em advogar, implementaram novos negócios, melhoraram seus relacionamentos, descobriram uma nova forma de se comunicar e, principalmente, mudaram sua visão sobre como profissionalizar sua advocacia.

Apesar de tudo o que eles aprenderam no Programa Advocacia de Referência ter sido fundamental para que essas mudanças fossem possíveis, o que realmente fez com que eles transformassem suas vidas e advocacia foi um único segredo.

Todos eles, sem exceção.

Aprenderam uma atitude especifica: A CONSISTÊNCIA.

Todos os dias você tem acesso a sites, vídeos, textos, livros, conselhos e exemplos que indicam que coisas você poderia fazer na sua advocacia, hoje, pra criar um novo modelo, diferente e melhor pra você.

Pode ser que algumas vezes você até implemente algumas dessas coisas. Mas, na maioria dos casos, a verdade é que a maioria facilmente desiste.

Eu brinco com alguns clientes, quando eles começam a implementar mudanças e reclamam que ainda não estão percebendo muitos resultados, que eles parecem aquelas pessoas que vão à academia e, já na saída, ficam se olhando no espelho pra ver se já viraram a Bella Falconi.

Buda não se iluminou em 7 dias, o Bella Falconi não inflou em uma semana, eu não aprendi a desenvolver advogados em 6 meses, e as chances são que, adivinha?, você também não vai atingir resultados realmente incríveis em apenas uma semana.

Mas o que Buda, a Bella Falconi, eu e meus coachees temos em comum é a consistência. A gente continuou fazendo o que tinha que ser feito todos os dias, um pouquinho de cada vez.

A Conversa Coaching

Sabemos que é a prática que conduz à excelência e à maestria. Você não precisa ser um Coach para aplicar uma conversa coach. Você pode aplicá-la com um amigo, um colega de trabalho, com colaboradores sob sua responsabilidade etc. Um bom exercício é estudar as etapas básicas da conversa Coaching e aplicá-las. Vejamos quais são elas:

Advogado: Quero parar de trabalhar quatorze horas por dia e fazer como todo mundo: trabalhar apenas oito.

Coach (foco): Se a meta que vamos trabalhar agora é essa, quais são as possibilidades?

Advogado: Delegar algumas tarefas…

Coach: E o que mais?

Advogado: Organizar as atribuições ao longo do dia e aprender a dizer “não” para tarefas que não me competem.

Coach (foco [ voltar sempre a recapitulação]): Então, o que vamos trabalhar agora?

Advogado: Acabar com o hábito de ficar até mais tarde, criando a disciplina de fazer só o que é vital no momento.

Coach (iniciando o plano de ação): O que é mais importante fazer?

Advogado: Organizar minhas manhãs, criando uma agenda no celular.

Coach: E o que mais?

Advogado: Parar todos os dias às 16h para me reorganizar, ver o que é necessário e delegar tarefas.

Coach: O que pode te atrapalhar?

Advogado: Se houver reunião pela manhã ou no fim da tarde, vou precisar rever meus horários e pedir apoio aos coordenadores.

Coach: E qual o próximo passo?

Advogado: Acho que não depende só de mim; primeiro vou ter que conversar com os coordenadores.

Coach (voltando ao foco): E o que você quer levar dessa nossa conversa de hoje?

Advogado: Um roteiro de como conversar com os coordenadores

Coach: De um 0 a 10, quanto está comprometido a realizar essa conversa?

Todos os direitos reservados – Rede Globo de Televisão – https://gshow.globo.com/novelas/o-outro-lado-do-paraiso/

Obs: Se você deseja realizar, gratuitamente, o teste básico de análise de perfil e descobrir se o seu temperamento tem te afastado dos seus objetivos: CLIQUE AQUI

2 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Sem desmerecer a excelência do artigo, conjugado com a vasta experiência da autora, é preciso destacar que o chamado "coaching", já é objeto de estudo desde meio dos anos sessenta, e ao longo das décadas foi aprimorando-se de uma forma impressionante, cabendo um especial destaque à figura proeminente de Anthony Robbins, que, extraindo aprofundados conceitos de PNL (Programação Neuro Linguística), tornou o coaching uma realidade prática, cujos resultados são impressionantes.
Espero, sinceramente, que advogados, cujo raciocínio, muitas vezes, encontra-se "emparedado" e algumas vezes limitado, seja capaz de perceber o potencial contido nessa ciência.
Por fim sugiro a leitura do texto contido no endereço abaixo, essencial para compreender a relação direta entre PNL e coaching:
https://golfinho.com.br/artigo/os-10-maiores-segredos-de-anthony-robbins.htm
Espero ter contribuído positivamente. continuar lendo

Nada mais e do que um nome diferente para vender uma ideia e serviço de consultoria.
Matéria televisiva paga. continuar lendo